O sexo sempre foi um tabu, falar sobre sexo é um comportamento não muito natural, esta ótica está mudando, porém ainda se tem muito o que falar e estudar a seu respeito. Se falar em sexo é complicado, considere falar sobre suas variações. No texto iremos tratar de forma simples o complexo, que é a Diversidade Sexual.
Diversidade é sinônimo de variedade e multiplicidade. Sexualidade é um termo abrangente que descreve todos os contornos do que é sexual. Dentro da sexualidade existem diversos segmentos, caminhos, expressões, práxis, identidades e fatores socioculturais que acabam por tornar esta área tão complexa, daí a feliz ideia da junção Diversidade Sexual.
Para começar a discorrer sobre diversidade sexual é necessário compreender que o ser humano é complexo, faz parte de um conjunto com fatores biológicos similares, fatores sociais, estruturais e principalmente de ordem natural é isso que nos difere, e quando se difere esbarramos nos conceitos preestabelecidos e internalizados, nosso grande vilão o preconceito.
Se fosse possível adentrar na diversidade sexual de forma a fazer uma lista com nomes, iriamos divagar por vários caminhos, por isso neste texto vou trazer a luz apenas três aspectos expressivos da  sexualidade  e  suas
Diversidades, como o sexo, identidade de gênero e orientação sexual.
O sexo está ligado diretamente com a questão biológica, ou seja, os órgãos reprodutores, a vagina, o pênis e suas funções correspondente, ele não tem nenhuma ligação com a identidade de gênero nem tão pouco com a orientação sexual, lembrando sempre que tudo faz parte da nossa sexualidade.
Para falar sobre gênero, necessariamente falamos em construção social, pois o gênero vem para diferenciar algo, aqui para diferenciar mulher, homem e outros gêneros. Falamos em construção para os diferentes papeis sociais entre homens e mulheres, desde criança a menina tem suas brincadeiras e meninos tem outras. As questões são tão fortes e enraizadas que quando um gênero masculino/feminino resolve transgredir seu papel imposto, ele automaticamente é problematizado, um exemplo simples neste contexto é logo após o nascimento o menino/menina tem seu enxoval com uma cor predeterminada. As várias questões de gênero não têm ligação com o sexo e nem com a orientação sexual.
A orientação sexual está ligada ao sentimento o que gosta, pensa e sente, faz parte do afeto e desejos. Por se tratar de fatores altamente da natureza humana não é uma opção e sim uma condição natural, e por ser natural pode ser de várias formas, como a homossexualidade, heterossexualidade, transsexualidade, panssexualidade, assexualidade, sapiosexual, demissexualidade, poliamor, andrógenosromantico, bissexualidade, autosexual e outros. Os nomes ou rótulos podem parecer não muito atraentes, a quem diga que eles limitam o sentimento, ou seja, faz aquilo que rege o nome, por outro lado, definindo ou rotulando o que sentimos, ele se torna mais claro e fácil de entender e lidar. Neste campo o respeito cai muito bem pois é algo pessoal, a decisão é de indivíduo para indivíduo.
Como se nota, a sexualidade é muito complexa e diversa, ter a mente e o coração abertos é fundamental, com isso conquistamos o respeito e com respeito podemos mudar o mundo.
Até a próxima!
Fábio Borba
Psicólogo Clínico
CRP: 06/122988
(11) 9-84472325
www.facebook.com/psic.borba
http://www.borbapsi.com.br
@borba.psi (instagram)
Comentários do Facebook
Postado em , Blog, Psicologia e marcada , , , , , , , , . .

Deixe um comentário

Site de Psicologia
%d blogueiros gostam disto: