Seus planos e desejos, você tem se esforçado para realiza-los? Você tem finalizado todas as suas tarefas? E as suas atividades tem sido bem organizadas? Seu tempo está sendo preenchido da forma mais produtiva possível?

Esses questionamentos nos direcionam a uma questão, a autossabotagem.

Acredito que você ou alguém que você conhece já tenha vivenciado uma situação em que poderia ter sido muito bem-sucedido, poderia ter se realizado, mas invés disso se indispôs, arrumou dezenas de desculpas, criou inúmeros obstáculos, perdeu o foco, e o que sobrou foram lamentações.
O que aconteceu foi autossabotagem!

A autossabotagem pode acontecer com qualquer pessoa, e esta funciona como uma confirmação da crença de fracasso, e neste mecanismo psicológico o cérebro acaba por trabalhar contra o sucesso, o que geralmente é inconsciente. Desta forma, as realizações se tornam impossíveis, e os projetos que tinham tudo para darem certo viram um fracasso, aumentando assim os sentimentos de frustração, impotência e incapacidade.

De certa forma, todas as pessoas se sabotam de vez em quando, e a maioria nem sempre conseguem perceber, e quando percebem muitas vezes não conseguem encontrar um meio de modificar a situação.

Conseguir perceber que estamos nos autossabotando é o primeiro e o mais importante passo para iniciarmos as mudanças, e assim podemos passar a aceitar e nos conscientizar dos danos que foram causados. E então é possível buscar motivações para que ocorram as mudanças necessárias. Este processo somente se torna possível quando conhecemos os padrões auto sabotadores, e a psicoterapia é uma excelente ferramenta para auxiliar no empenho em buscar novos sentidos para nossas ações, pensamentos, sentimentos, valores e crenças.

Até mais!

Nathália Almeida Togneri

CRP 16/4831

Psicóloga com especialização em saúde pública.

Colunista Inovamente Psicologia

Tel.: (28) 9.8806-5673

E-mail: psicologanathaliatogneri@gmail.com

www.facebook.com/psicologanathaliatogneri

Comentários do Facebook
Postado em , Blog, Psicologia e marcada , . .

Deixe um comentário

Site de Psicologia
%d blogueiros gostam disto: